Ads 468x60px

Idoso vai ao seu enterro e família é surpreendida

A confusão partiu dos próprios familiares de Manoel Romão, que estava sumido há três dias. Após o procurarem por toda cidade, os parentes foram informados sobre uma vítima de um acidente, cujo corpo estava sem identificação no hospital da cidade e que tinha as mesmas características dele. O engano só foi desfeito, poucos minutos antes do sepultamento, quando um amigo de Romão disse o ter visto na Zona Rural do município. Ao descobrir o erro, familiares tentarem devolver o corpo, quando só então parentes da real vítima encontraram e revelaram o nome da pessoa que estava sendo velada, que foi identificada como Eliomar Moreira Félix. 
O engano
Francisca Maria Oliveira, irmã de Romão, conta como tudo aconteceu e acrescenta que o fato foi uma grande coincidência. Já que a vítima parecia com ele e estava com roupas similares.“Meu filho e outro parente nosso foram até o hospital e acharam a pessoa muita parecida com ele. Disseram que estava com a mesma cor do calção e com uma bicicleta igual a que ele utilizava. Como o rosto estava um pouco desfigurado e era difícil de reconhecer pela face, acreditamos que podia ser ele mesmo e começamos os procedimentos para velar o corpo”, disse Francisco Maria Oliveira, irmã do aposentado. Após ser reconhecido o corpo, ela contou que o médico de plantão do hospital orientou que família buscasse o translado do corpo para a realização de exames cadavéricos no Instituto de Medicina Legal (IML) da cidade de Teresina.“Novamente, meu filho e outros parentes viajaram com o corpo na tarde de sexta-feira, dia 25, para o IML, mas acabaram se esquecendo de registrar o caso na polícia daqui e tiveram que registrar a denúncia na Central de Flagrantes de Teresina. Depois de tudo isso, conseguiram trazer o corpo de volta, na madrugada do dia seguinte, com todos os papéis para o sepultamento”, contou Francisca.
Francisca Oliveira disse que o velório do irmão aconteceu durante a madrugada de sábado (26), com a presença de vários familiares e amigos, mas revela que todos se questionavam ao ver o corpo. “A maioria das pessoas ficaram em dúvida se era ele mesmo, mas devido as circunstâncias e características, além do fato do corpo estar com hematomas do acidente, se conformaram”, destacou.
Durante o velório, a irmã conta que ligou para os filhos de Manoel Romão para que eles viessem do Rio de Janeiro, antes do sepultamento. “Ele tem seis filhos, todos trabalham e moram no Rio. No momento, só conseguimos comunicar o fato à dois. O mais velho e a mais nova, que há mais de 20 anos não viam o pai, vieram de avião e conseguiram chegar a tempo do enterro”, declarou.  
Surpresa no sepultamento
Durante o ritual do sepultamento, a irmã conta que um amigo da família disse ter visto Romão vivo e que sabia onde ele estava. “Neste momento, os filhos dele e meus filhos foram até o local descrito por essa pessoa e já voltaram abraçados com ele. No cemitério foi uma alegria só, todos correram para lhe abraçar”, descreveu Francisca.
Mesmo com toda confusão, Francisca diz que está feliz, apesar de lamentar a morte da outra pessoa. “Ele tem uns problemas psicológicos e ainda gosta de beber. Costuma sair e demorar até um ou dois dias para voltar, mas sempre vamos atrás dele e saber que está tudo bem”, declarou.
Apesar do susto da família, ela acrescenta que há um lado bom em toda história. “Os filhos dele, que não o viam há tanto tempo, puderam matar a saudade dele e de toda família. Eles já voltaram neste domingo, dia 27, para suas cidades, com o coração mais tranquilo”, disse a tia.
Sobre como o irmão reagiu ao chegar no seu próprio enterro, ela declarou que Romão ficou surpreso e brincou dizendo que estava mais vivo do que nunca. “Ele ficou feliz com todo carinho que recebeu e também por ver os filhos. Voltou para casa, mas na manhã deste domingo, o teimoso já saiu de novo e não sei pra onde foi”, revelou a irmã Francisca.
De acordo ela, a família vai procurar na segunda-feira (28) uma forma para cancelar os documentos que oficializaram a morte de Manoel Romão.
Caso de Polícia
A “falsa morte" do aposentado foi registrada na Delegacia Regional de Piripiri. O delegado da cidade não foi encontrado pela equipe de reportagem do G1 Piauí para comentar o caso.


Esposa de Maguila diz que ex-lutador chora muito com estado grave

O ex-lutador de boxe Maguila, de 56 anos, está em estado grave segundo sua esposa, Irani Pinheiro. Maguila estaria comendo pouco e precisa de ajuda de sonda, o que o fez perder peso. “Ele está chorando muito”, disse em entrevista ao programa Domingo Legal, do SBT. “Agora que está numa situação mais emotiva, ele sempre chora. Ele já havia chorado antes, mas agora ele está mais sensível. Quando estou no quarto [do hospital] também, ele sente muito, ele chora”, completou. O ex-lutador passou a ter uma infecção pelo tempo em que ficou internado na Santa Casa de Misericórdia, em São Paulo, desde abril. De lá para cá, foi descoberto um tumor no pulmão, e Maguila também luta contra o Alzheimer, diagnosticado em 2010. Com informações do Uol.


Ex-BBB revela que ainda sente 'trauma' ao ouvir voz de Pedro Bial

O ex-BBB Alisson Gomel, que participou da 14ª edição do reality show, ainda não esqueceu totalmente a sua passagem pela casa mais vigiada do Brasil. Em entrevista ao jornal O Globo, o mineiro admitiu que até hoje, quando ouve a voz do apresentador Pedro Bial na televisão, sente um frio na barriga. Traumatizado pelas notícias ruins trazidas pelo jornalista, basta o DJ ouvir a voz de Bial para um filme passar na sua cabeça. "Quando começaram as chamadas para o “Na moral” e ouvia a voz dele, rolava uma tensão! Na casa, o Bial só aparecia para coisas “ruins”: paredão, eliminação etc. Acaba marcando muito. Mas tenho um carinho imenso por ele", brinca. O ex-BBB foi o segundo eliminado da casa, com 40% dos votos.


Homem morre após ser atingido por avião em praia dos EUA

homem morreu e uma menina de nove anos, filha da vítima, ficou ferida nesse domingo após serem atingidos por um avião durante um pouso de emergência em uma praia da Flórida, nos Estados Unidos, de acordo com informações da agência AP. Wendy Rose, porta-voz do escritório do xerife do condado de Sarasota, afirmou que o piloto e o passageiro da aeronave, um modelo Piper Cherokee, não ficaram feridos. Pai e filha caminhavam pela praia quando foram atingidos pelo avião, que teve uma falha mecânica e perdeu potência. Segundo Rose, o aeroporto da cidade de Venice recebeu um chamado de emergência do piloto. “Eles (aeroporto) foram contatados por um piloto cujo avião estava com problema. Ele sabia que não conseguiria voltar ao aeroporto e iria tentar pousar na areia da praia”, explicou. A menina foi transportada para um hospital infantil da região, e se encontrava em situação crítica, afirmou Wendy Rose. As vítimas, Ommy Irizarry, 36 anos, e Oceana Irizarry, 9, eram do Estado vizinho da Georgia. Já o piloto e o passageiro, Karl Kokomoor, 57, e David Theen, 60, respectivamente, são moradores da Flórida. A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA, na sigla em inglês) informou que está investigando o ocorrido. Investigadores do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes também foram enviados ao local para tentar determinar a causa do acidente. (Terra)


Juiz é suspeito de beneficiar traficantes clientes de advogada

A Polícia Federal investiga um crime que pode ter sido cometido por aquele que mais deveria zelar pela Justiça. Um juiz de Minas Gerais está preso, acusado de beneficiar uma das maiores quadrilhas de tráfico de drogas da região sudeste. Preste atenção no homem do vídeo acima. Ele é juiz de execuções criminais em Minas Gerais, e toma as decisões relacionadas aos presos condenados pela Justiça em Juiz de Fora. E quem é a mulher que está com o juiz no vídeo? Ela é advogada de um traficante. O vídeo é peça-chave numa investigação da Polícia Federal que desmontou uma das maiores quadrilhas de tráfico de drogas do país. Dezessete pessoas foram presas e cerca de R$ 70 milhões apreendidos em dinheiro, drogas, armas, imóveis, dezenas de carros de luxo e até um avião. A droga era trazida da Bolívia e distribuída, principalmente, em São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, pelos traficantes Álvaro Daniel Roberto, o Caipira, Peterson Pereira Monteiro, o Zoi, e José Severino da Silva, o Cabecinha. Mais do que uma rota do tráfico de drogas, Juiz de Fora acabou se tornando uma base estratégica para a organização criminosa e o principal motivo estava no fórum da cidade. Ao investigar a quadrilha, a polícia encontrou várias sentenças assinadas pelo juiz Amaury de Lima e Souza beneficiando traficantes, clientes da advogada Andrea Elizabeth de Leão Rodrigues.Segundo a polícia, a peça seria o alvará de prisão domiciliar que o juiz concedeu a um traficante. E este não foi o único caso, como mostram documentos, gravações telefônicas feitas com autorização da Justiça e imagens a que o Fantástico teve acesso com exclusividade. O traficante Álvaro Daniel é de Campinas, estava num presídio em Fortaleza e foi transferido para prisão domiciliar em Juiz de Fora. Segundo a polícia, foi uma manobra da quadrilha para tirá-lo de trás das grades com ajuda do juiz Amaury. A defesa apresentou um atestado médico afirmando que o traficante precisava de uma cirurgia urgente.


Justiça Eleitoral divulga nome de cidadãos que vão trabalhar nas eleições

Estão disponíveis para consulta nos sites dos tribunais regionais eleitorais (TREs) o nome das pessoas que comporão as Juntas Eleitorais. O prazo estabelecido pela Justiça Eleitoral para a divulgação terminou neste domingo (27). Esse órgão colegiado provisório é constituído por dois ou quatro cidadãos e um juiz de direito, que o presidirá e poderá nomear escrutinadores e auxiliares extras para realizar os trabalhos. Os nomes das pessoas indicadas para compor as juntas são publicados em tempo hábil para que qualquer partido político possa pedir a impugnação das indicações. Com a composição anunciada até 60 dias antes das eleições pelos tribunais regionais eleitorais (TREs), as Juntas Eleitorais têm a obrigação de apurar, em até dez dias, as eleições realizadas nas zonas eleitorais sob a sua jurisdição, expedir os boletins de apuração e diplomar os eleitos para cargos municipais. A partir desta segunda-feira (28), os eleitores que pediram inscrição ou transferência já podem ir buscar, no cartório eleitoral mais próximo de sua residência, o título de eleitor. O prazo final para que a Justiça Eleitoral estivesse com essa documentação pronta para entrega também terminou neste domingo (27).(Agência Brasil)


Versão irônica da Bíblia faz sucesso entre religiosos na Comic-Con 2014

Do lado de fora do pavilhão onde acontece a Comic-Con 2014, em San Diego, religiosos com microfones da Madonna exortam os frequentadores do evento, dizendo que "a punição para o pecado é a morte" e que sua idolatria os levará para o inferno. Do outro lado, em um dos salões internos do evento, um pastor batista elogia uma versão resumida e irônica da Bíblia que acaba de ser lançada. Escrita pelo autor Mark Russell e ilustrada pelo cartunista Shannon Wheeler, famoso por seus desenhos na revista "The New Yorker", "God Is Disappointed in You" ("Deus Está Decepcionado Com Você", em tradução livre) resume todos os livros bíblicos em poucas páginas, "poupando os leitores de genealogias intermináveis e da linguagem rebuscada para explicar apenas o essencial de cada história", segundo as palavras do autor. O pastor batista Mark Parnell durante a Comic-Con 2014, em San Diego O livro de Jó, por exemplo, que na Bíblia tem cerca de 40 capítulos, fica apenas com uma página, a qual diz que Deus e o Diabo fizeram um "aposta louca" para testar a fé do personagem. "Foi com o livro de Jó que tivemos a ideia do livro. Estávamos em um bar e o Shannon me disse que não entendia essa história. Aí eu expliquei para ele em poucas palavras", conta Russell. Os autores disseram que esperavam uma péssima repercussão entre religiosos, mas dizem que muitos os têm procurado para comprar cópias para os amigos. Segundo ele, muitas pessoas falam da Bíblia, mas nunca nem sequer leram o livro. "E tem aquelas que usam os versos para apoiar seus pensamentos e para justificar todo tipo de perseguição. O livro ajuda essas pessoas a ir direto ao essencial." O ilustrador diz ainda que o livro está agradando até mesmo os hipsters, que criticam o trabalho sem conhecimento sobre o assunto porque "nunca tiveram paciência para lê-lo". "O importante é que as pessoas entenderam que não estamos ridicularizando as escrituras, mas tornando-as acessíveis para religioso e não religiosos com uma linguagem contemporânea."


80% dos hospitais filantrópicos do país operam no vermelho

O acúmulo de dívidas não é exclusividade da Santa Casa de São Paulo. Pelo menos 83% dos 2.100 hospitais filantrópicos brasileiros operam no vermelho, segundo estimativas da Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas (CMB). A dívida total das instituições já supera os R$ 17 bilhões, de acordo com José Luiz Spigolon, diretor-geral da CMB. Ele afirma que, mesmo com o aumento dos incentivos governamentais nos últimos anos, as unidades de saúde ainda não recebem o valor que gastam ao realizar procedimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). "Em média, a tabela SUS só cobre 60% do gasto real do procedimento", diz ele. "É verdade que temos incentivos governamentais. O problema é que os incentivos não estão disponíveis para todos os tipos de hospitais e, além disso, quando o hospital faz mais procedimentos do que o previsto em contrato, ele dificilmente recebe por eles", explica o diretor. De acordo com Spigolon, isso acontece porque os hospitais filantrópicos ganham por produção, mas têm um número limite de procedimentos pelos quais são remunerados. Se realizam mais procedimentos do que o previsto, podem ficar sem pagamento porque os valores ultrapassam o teto de verbas do gestor público. "Em 2012, os governos deixaram de pagar R$ 334 milhões em internações", diz. Aos 471 anos e com dívida de R$ 130 milhões, a Santa Casa de Santos, a mais antiga do País, é uma das filantrópicas que passam por crise. "A Santa Casa não tem de dar lucro, mas deve ter equilíbrio nas contas, coisa praticamente impossível com a tabela SUS", diz a diretora financeira, Miriam Cajazeira Diniz, que, junto com o provedor Félix Alberto Ballerini, está disposta a mudar o perfil das finanças da instituição. Dona de um patrimônio de R$ 534 milhões, a instituição já prepara a venda de imóveis e pretende reivindicar uma linha de crédito no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com prazo de pelo menos dez anos para pagamento. Para Spigolon, a solução para o endividamento dos filantrópicos passa por mudanças na gestão das entidades e aumento dos repasses. "Tem de acabar com o subfinanciamento. É preciso que o projeto de lei que prevê uso de 10% da receita bruta do País para a saúde seja aprovado. Com isso, o orçamento da saúde ficaria 30% maior", diz.
No aspecto da gestão, ele diz que as entidades "devem entender" que nem sempre é possível que o atendimento seja totalmente público. "É preciso separar leitos para planos de saúde porque é o que vai ajudar a garantir as finanças." As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

Para Dunga, Seleção precisa de mais privacidade

O retorno do Dunga ao comando da Seleção, oficializado esta semana, pegou muita gente de surpresa.  Quem poderia imaginar que ele, tão criticado na Copa da África, receberia outra chance? Dunga disse ao Fantástico que, na nova administração, vai exigir dos jogadores mais foco e autocontrole. Um longo trabalho que começa agora para reconquistar a confiança do torcedor. 
Fantástico: Dunga, você está tendo uma oportunidade que pouquíssimos profissionais têm, voltar à seleção brasileira. O que nesse momento não sai da tua cabeça, que você quer muito conseguir realizar?
Dunga: Eu quero começar logo os jogos, assim acaba a polêmica.
Falta pouco mais de um mês pro Dunga ficar na beira do campo, comandando a seleção brasileira. Como ele fez de 2006 até o mundial de 2010. Depois disso, treinou o Internacional por um ano e foi campeão gaúcho de 2013. Fantástico:Como você se preparou nesses quatro anos em que você ficou fora da seleção?
Dunga: Eu lia muito, via muitos jogos, via treinamentos, acompanhava. Trocava muitas informações, principalmente com o pessoal da Europa.
Como vai ser a nova seleção do Dunga? O que ele não gostou de ver na última Copa dá pistas.
Fantástico: Você disse agora que não era para falar de terra arrasada, que não é assim.
"A partir dessa Copa do Mundo, a gente não pode colocar como terra arrasada, teve muitas coisas boas, teve outras que a gente tem que modificar", disse Dunga na apresentação terça-feira.
Fantástico: Dá um exemplo pra gente de uma coisa que você vai mudar.
Dunga: O foco maior tem que ser a seleção brasileira. Quando você for dar entrevista, você tem que dar entrevista com o chapeuzinho da seleção brasileira. Ou não dá. É notório que quando as outras equipes vão lá, os caras vão com a cara limpa. Então o Brasil tem que ir com essa cara limpa. O Brasil tem que ter o marketing pelo futebol, pela qualidade.
Fantástico: Como assim?
Dunga: As pessoas têm que falar muito mais do que eu faço no campo do que eu faço extracampo.
Fantástico: Então você diria, durante a Copa, se você tivesse lá: “Ô, Daniel Alves, ô, Neymar, não pinta o cabelo agora não”.
Dunga: Sem dúvida, acho que tem que ser concreto. Ou antes ou depois. Eu tenho que pensar na Copa do Mundo. Os problemas que eu tenho de contrato, de marketing, de família eu resolvo antes de chegar na seleção ou depois. Trinta dias não vai mudar.
Fantástico: O que você não repetiria, por exemplo, que foi feito na Copa do Brasil?
Dunga: Isso é uma polêmica, né? Eu acho que num certo momento, a seleção brasileira tem que ter uma privacidade.
Fantástico: Mas o que dizer dos holandeses, dos alemães que tiveram toda aquela liberdade, pareciam estar bem à vontade, inclusive nos momentos de lazer e de treino?
Dunga: Perfeito. Só que eles tinham essa privacidade quando eles saíam fora do muro deles. Aí eles tinham essa exposição da mídia. O treinamento deles teve pouco.
O treinador quer orientar os jogadores com relação a alguns comportamentos. Como, por exemplo, a emoção na hora do hino à capela.
Dunga: Se criou isso do hino nacional desde a Copa das Confederações, que acabava o hino e o torcedor continuava cantando. Isso mais ou menos introduziu dentro da seleção brasileira. Que é legal, mas quem tá ali dentro não pode se emocionar muito. Tu tem que criar uma barreira. Essa exposição acho que deve ter atrapalhado um pouquinho.
Fantástico: Faltou equilíbrio emocional em alguns momentos dessa Copa?
Dunga: É difícil de dizer porque tu não tá lá diariamente. Talvez tenha se sentido um pouco essa ansiedade que criou a expectativa de que o Brasil tinha que ganhar de qualquer forma. E não é assim.
Fantástico: A comissão técnica anterior vendia o favoritismo da seleção. O Felipão e o Parreira falavam do favoritismo da seleção. Você não faria o mesmo?
Dunga: Você tem que jogar com as palavras. Vamos jogar pra ganhar. É diferente de você: vamos ganhar. Quando você fala afirmativo não tem outra forma.
Fantástico: Você faria diferente, então?
Dunga: Cada um é cada um. Eu ia falar que o Brasil ia jogar pra ganhar, que a gente joga em casa, é favorito, como sempre o Brasil é.
Fantástico: Dunga, que nota você daria ao técnico Luiz Felipe Scolari?
Dunga: O cara foi campeão do mundo cara, campeão do mundo não se discute. Você paga pelas suas decisões, bem ou mal. E ele teve a hombridade de chegar e é isso, eu que estou aqui pra tomar as decisões e tomei.
Se a seleção começou a Copa com algum favoritismo, foi embora humilhada. Dunga estava no Mineirão quando o Brasil foi derrotado por 7 a 1 pela Alemanha.
Dunga: Eu senti o que o torcedor, o que todo mundo sentiu. Ninguém estava acreditando. Era um apagão. Ninguém acreditava.
Fantástico: Um técnico consegue, na hora de um jogo como esse, prever isso que vai acontecer? Perdemos o controle?
Dunga: Ninguém espera, acho que ninguém tá preparado pra isso. Até porque você sabe os jogadores que tem em mãos, que você trabalhou, jamais você iria imaginar esse tipo de coisa. Eu acho que até o treinador tá perplexo. Impossível.
Mas, para o novo técnico, faltou uma chacoalhada naquele momento.
Dunga: Se não tiver um pra dá-lhe um berro. E uma coisa assim que tem que ter em qualquer grupo, qualquer grupo, não tem jeito, eu não tenho que ficar melindrado de chamar atenção de mandar para aquele país. Não, não tem esse negócio, porque se eu não te mandar outro vai perder e eu também vou perder, então não! Acho que isso tá faltando um pouco no futebol em geral do Brasil moderno, quando tem essa exposição na mídia, essa grande exposição, então todo mundo tá muito com dedinho para chamar atenção do outro.
Fantástico: Você diria que o futebol brasileiro está no pior momento da sua história?
Dunga: Não, não seria tão crítico assim. Porque nós temos jogadores na Europa, temos qualidade. Nós temos que apagar esse resultado com a Alemanha, que foi uma coisa atípica. Que não vai acontecer.
Para Dunga, o desempenho no mundial não significa que o futebol brasileiro esteja ultrapassado.
Dunga: Não é que o Brasil esteja defasado. O problema do Brasil é que os jogadores com 12, 16 anos, 17 anos começam a sua formação e já vão pra Europa. Se nós pegarmos esses jogadores que foram pra Europa nenhum deles é titular absoluto na sua equipe. Então o Brasil começa a perder nesse aspecto.
Fantástico: Dunga, no caminho pra cá, todo mundo parou para conversar comigo e com a Renata. E muita gente quis perguntar. Topa responder o pessoal?
Dunga: Topo.
Menino: Eu queria saber qual vai ser a formação e se ele vai convocar o Fred.
Dunga: A formação ainda ela vai acontecer com o passar dos amistosos, dos jogos, a gente tentar achar uma formação.
Fantástico: Tática ideal.
Dunga: Os jogadores ideal. Quanto ao Fred, é um grande atacante, não teve o resultado esperado por todos na Copa do Mundo. Já tá com uma certa idade. Na outra Copa vai estar com 34 anos, 35, vai ser difícil, né? Então vai depender muito do momento dele lá na frente.
A primeira convocação de Dunga será para o amistoso contra a Colômbia, em 5 de setembro.
Fantástico: Adianta um que vai ser uma surpresa pra seleção! Tem um mês já da convocação. Um mês.
Fantástico: A lista da primeira convocação você já tem ela pronta?
Dunga: Não. Tenho três jogadores em cada posição.
Fantástico: Então diz um pra gente. Dois, vai! Além do Neymar.
Dunga: Não, vocês vão pesquisar. São jogadores jovens que tão na Europa, que tão tendo bom rendimento. A gente tá seguindo né juntamente com os jogadores brasileiros também.
Dunga: Tu não pode em nenhum momento se comprometer e também sabe criar o friozinho na barriga. Ele tem que ficar até o último dia, até o último segundo esperando o nome dele sair. Ele tem que ter alegria e joia na hora do nome dele ser lembrado pra seleção brasileira.
Uma jovem torcedora tem outra pergunta pro Dunga.
Menina: Dunga, você vai chamar o David Luiz?
Dunga: Vou escalar todos aqueles jogadores que tiverem aptos. E tiverem realizando aquilo que nós desejarmos. Ninguém tem lugar garantido na seleção. E volto a repetir: fantástico essa integração de jogador com torcedor. Mas o torcedor tem que entender que o jogador tem que jogar por eficiência, por capacidade. Não porque ele vende uma imagem que é bonita, é legal.
Fantástico: Então, Emily, tá garantido não.
Mas o Dunga dá algumas dicas sobre futuros convocados. São jogadores que, segundo ele, poderiam ter sido chamados para a Copa este ano.
Dunga: O Cruzeiro foi campeão brasileiro tinha bons jogadores, o Atlético de Madri tinha bons jogadores que poderia tá também, mas será que ia mudar o resultado?
Miranda, do Atlético de Madri, era uma aposta pra ser convocado pelo Felipão. E o Everton Ribeiro foi eleito o craque do brasileirão do ano passado.
Fantástico: O Neymar é o pilar da seleção?
Dunga: É a referência mundial.
Fantástico: Então a seleção continua tendo o Neymar, joga em função do Neymar?
Dunga: Eu diria diferente. Não jogar em função do Nyemar. Mas o Neymar jogar em função da seleção. O Brasil vai criar uma estrutura pra que ele possa ser o diferencial.
Fantástico: O Neymar disse, numa entrevista pra gente, pro Fantástico, que muitas vezes os jogadores aprendem errado nas categorias de base. Você concorda?
Dunga: Num certo ponto de vista, sim. Nós temos que dar subsídios pro cara de 14 anos pra ele gostar de futebol, dele gostar de estar dentro de campo. Nós temos que dar açúcar na boca dele, chocolate na boca dele, gostar de futebol. Se eu começo com 14 anos só parte tática, com 18 anos ele já tá saturado.
Já no futebol profissional - e na seleção - a tática tem papel importante.
Dunga: O futebol não mudou. O que decide o futebol é talento. O que decide é qualidade técnica. Mas ela tem que ter qualidade técnica. O futebol, por mais que ele seja um pacto - e ele é, por mais que ele seja coletivo, mas em determinados setores do campo é um duelo individual. 1 contra 1.
Em 2010, a seleção que dirigia foi eliminada pela Holanda. Dunga tem lembranças amargas desse jogo.
Dunga: Eu não gosto de colocar a culpa em ninguém tá, mas o juiz japonês deu o primeiro cartão amarelo pro Michel Bastos. Eu não preciso ver o jogo: a minha memória é uma desgraça. Eu gravo tudo, por isso que eu arrumo muito problema. Primeiro cartão amarelo no Michel Bastos não foi falta, a falta não foi falta. Ele anulou um gol do Robinho. Pênalti no Cacá. Então, pô... E o pior disso: encontrei ele no aeroporto no Rio, tive que cumprimentar ele.
Fantástico: E ele falou alguma coisa?
Dunga: Não, só veio falar comigo perguntou se eu lembrava dele e eu falei que não.

Fora de campo, Dunga diz que vai tentar uma boa relação com a imprensa, coisa que não aconteceu na primeira passagem dele pela seleção.
Fantástico: O que você fez, especificamente?
Dunga: Eu acho que é justamente isso. Você conversar com as pessoas que estão ao teu redor, pessoas que já foram do futebol e outras não, e eles te dar alguns toques importantes. Principalmente quando o cara fizer uma pergunta que é maldosa e eu ter a paciência de pensar e responder. E não ser gaúcho na ponta da faca e responder na hora. E que algumas respostas você não precisa nem dar, porque não vai mudar a opinião da pessoa.
Esta semana foi noticiado que Dunga teria sido agente do jogador Ederson, em 2004, antes de virar treinador.
Fantástico: Você nega que tenha exercido o papel de agente de jogador?
Dunga: Em 2004 eu parei de jogar futebol. Me foi procurado por uma pessoa do Rio Grande do Sul pra mim apresentar um investidor da Europa, eu vim apresentei o investidor da Europa.
Por essa apresentação, Dunga recebeu cerca de R$ 400 mil.
Fantástico: Isso não é um agenciamento?
Dunga: Não, porque eu fiz uma apresentação. Isso aí fora da negociação, aí o clube negociou diretamente com o empresário.
Mais uma pergunta da torcida:
Senhora: Gostaria de perguntar se ele vai continuar com a mesma estilista da outra vez, pois o destaque dele é nas roupas que ele aparecia no campo.
Dunga: A minha filha, ela nunca. Ela é estilista feminina. Não é masculina. O que eu coloquei alguma vez é que ela me dava algumas sugestões que comprava, mas não era ela que me vestia. Por mais que você fale pro pessoal, não é minha filha, ela é estilista feminina, continuam dizendo.
Fantástico: Isso nunca existiu?
Dunga: Nunca existiu.
Fantástico: Mas a gente viu a mudança. Qual vai ser o Dunga nessa nova passagem pela seleção. O Dunga fashion ou o Dunga mais... Nessa última apresentação estava mais tradicional.
Dunga: Vai depender do momento.
Fantástico: Dunga, você teme a desconfiança da torcida brasileira?
Dunga: Eu não temo, ela tem. Ela não existe comigo, ela existe com todos os treinadores. Mais ou menos ela existe. O que pode mudar é o resultado dentro de campo.
A primeira pessoa que veio falar com a gente no aeroporto do Rio mandou uma mensagem não muito legal pro Dunga.
Fantástico: A gente vai falar com o Dunga. Quer perguntar alguma coisa pra ele?
Senhora: Não. Não queria que ele fosse escolhido, não.
Fantástico: O que você diria pra ela?
Dunga: Que eu vou mudar a opinião dela! Que a gente possa se encontrar, que tu possa encontrar ela e ó, eu estava errado.
Fantástico: Depois de tudo isso que a gente conversou o Dunga deixou de ser o Zangado?
Dunga: Não, porque eu sempre fui o zangado. Trocaram o meu nome, não era Dunga era Zangado.
Fantástico: Erraram o seu apelido?
Dunga: Erraram o meu apelido.
Fantástico: O Dunga não vai passar a ser o Feliz?
Dunga: Sendo Dunga já tá bom né. Feliz tu já quer o extremo. Saiu do Zangado pro Feliz. Vai ficar no meio: Dunga.

Candidatos ao governo debatem políticas culturais na sede da ALB

Os candidatos ao governo da Bahia têm encontro marcado nesta terça-feira (29), às 19h, na Academia de Letras da Bahia (ALB), que fica no bairro de Nazaré. Os postulantes irão discutir e apresentar propostas para o setor da cultura e o evento terá transmissão ao vivo pela TVE e pelo portal do Instituto de Radiodifusão Educativa da Bahia (Irdeb). É o primeiro debate na TV desta eleição. Na oportunidade, os pleiteantes ao cargo máximo do executivo baiano irão também discorrer sobre um documento escrito (e já enviado às coligações) por 12 acadêmicos e quatro artistas convidados pela ALB. O debate intitulado "A Política Cultural no Estado da Bahia" vai tratar de temas como a baixa destinação de verbas públicas e a burocratização dos mecanismos de financiamento cultural, pontos que fragilizam os investimentos na área. "O governo estadual destina hoje 0,75% do orçamento para a cultura. Esperamos que isto seja elevado para pelo menos 1%, mas o ideal seria 1,5%", disse o poeta e acadêmico Luís Antônio Cajazeira Ramos, ao A Tarde. Os candidatos Paulo Souto (DEM), Rui Costa (PT), Rogério da Luz (PRTB), Lídice da Mata (PSB), Marcos Mendes (PSOL) e Renata Mallet (PSTU) devem participar do evento. Interessados em participar do debate podem se inscrever pelo e-mail academiadeletrasdabahia@uol.com.br. Caso seja ultrapassada a lotação, a ALB informou que a prioridade será para agentes de cultura. (Bahia Notícias)

Namorados de 14 anos somem e deixam carta de despedida falando de liberdade
Um casal de namorados de 14 anos está desaparecido desde a quarta-feira de Guarulhos, na Grande São Paulo. Antes de sumir, a garota deixou uma carta para os pais dizendo que "precisava de liberdade". A família está unida fazendo buscas na região do litoral paulista em busca dos adolescentes. Kelly Maria dos Santos foi vista pela última vez na quarta, quando pegou uma van para ir à escola. O pai dela, José Manuel dos Santos, foi procurar a filha na casa do namorado e ao chegar lá não acharam o garoto também. "Achamos que eles fugiram juntos". Antes de sumir, Kelly apagou o histórico de seu computador e deixou uma carta. "Ela reclamava que a gente não dava atenção e que nossa cobrança era grande. Ela nos condenou. Eu era mais tolerante, mas a mãe pegava mais pesado. Ela pode ter achado que a gente não gostava dela. Muitas vezes ela pedia para fazer as coisas e eu não deixava por causa de preocupação de pai", explicou José. Kelly agradece aos pais pelos 14 anos de cuidados, mas diz que tinha "sonho de viver livre". Mateus Alves também desapareceu no mesmo dia, levando duas mochilas, dois skates e um violão. Um amigo dele disse à família que o garoto comprou barracas de acampamento e estava pesquisando bons lugares para acampar em praias. Os pais estão percorrendo algumas cidades em busca dos adolescentes. (G1)

"Fui o primeiro a fazer xixi na Lua", diz o astronauta Buzz Aldrin
Ele pode ter sido o segundo homem a pisar na Lua, mas Buzz Aldrin foi o primeiro a fazer xixi na órbita lunar - obviamente num recipiente próprio em seu traje espacial. "Só posso dizer que eu fui o primeiro a fazer xixi na lua. Todo mundo tem suas estreias", diz ele à coluna. Seu nome ficou internacionalmente conhecido em 20 de julho de 1969, como o segundo homem a pisar na superfície da Lua, logo atrás de Neil Amstrong. Sabe aquela foto emblemática? É Buzz, que foi clicado pelo colega de tripulação logo depois que ele desceu do módulo Eagle. "Neil era um fotógrafo muito bom", afirma ele. Quando voltou à Terra, Buzz virou uma celebridade. Participou de programas como Dancing With The Stars, da série 30 Rock, dublou a si próprio no desenho Os Simpsons, lançou biografia e cantou rap com Snoop Dogg. Seu nome está na calçada da fama de Hollywood. Passados 45 anos do pouso, Buzz continua na ativa, aos 84 anos, e recrutou os amigos para participarem do projeto #Apollo45 Where Were You When Apollo 11 Landed (Onde Você Estava Quando a Apollo 11 aterrissou na Lua) com canal no YouTube e em todas as redes sociais. Entre os nomes que gravaram depoimentos estão J.J. Abrams, Quincy Jones, Tom Hanks, John Travolta, Jared Leto, Pharell Williams e os brasileiros Carlos Ayres Britto, ex-presidente do STF, o nadador Thiago Pereira e o empresário Carlos Gardes. (Coluna Bruno Astuto)

“O Deus deles altera a trajetória de nossos foguetes”, lamenta terrorista





Circula nas redes sociais uma imagem do jornal Jewish Telegraph com uma entrevista surpreendente. A manchete diz “O Deus deles altera a trajetória de nossos foguetes em pleno ar”. Entre as centenas de compartilhamentos, muitos comentários mostram que existe ceticismo, afirmando que se trata de uma montagem e que o jornal sequer existe. O Gospel Prime investigou e apresenta a tradução dessa matéria do jornal Jewish Telegraph, que embora de pequena circulação, existe sim. Trata-se de um periódico judeu produzido no Reino Unido. Alguns sites americanos e israelenses reproduziram a matéria, o que deu uma dimensão maior ao caso. A frase destacada na manchete teria vindo de um terrorista, mas ele não é identificado. 
Veja abaixo a primeira parte da matéria.
“O Deus deles altera a trajetória de nossos foguetes em pleno ar”. Por Barbara Ordman (nascida em Manchester, mas que vive em Ma’ale Adumim, na Cisjordânia) Em outubro de 1956, o primeiro-ministro David Ben Gurion foi entrevistado pela rede CBS. Ele declarou: “Em Israel, para ser realista, você precisa acreditar em milagres.” Mas o Talmud Yerushalmi diz que, de modo algum devemos depender de milagres. Ensina ainda que não devemos fugir de nossas responsabilidades e apenas esperar por intervenção milagrosa do Sobrenatural. Um dos terroristas de Gaza foi questionado por que não conseguiam usar seus foguetes de forma mais eficaz. “Nós apontamos para os alvos, mas o Deus deles altera a trajetória de nossos foguetes em pleno ar” Amém! E quando o nosso Deus não está ocupado fazendo isso, nos deu o poder de criarmos alta tecnologia, para que nossa avançada tecnologicamente criasse o sistema de defesa Domo de Ferro, que ajuda a proteger nosso povo e nossas cidades.” 
A jornalista que escreveu o artigo passa a narrar como ela escapou de um ataque de foguetes vindos de Gaza num abrigo construído no subsolo da casa onde ela mora com a família. Chama a atenção o fato de o site das forças armadas de Israel trazer a afirmação que os ataques por terra do Hamas estão sendo impedidos através de uma “sucessão de milagres” e que “graças aos céus” um grande atentado terrorista perto do Kibbutz Sufa não pode acontecer por causa da “graça dos céus”. Em diversos sites evangélicos de língua 


Bruna Marquezine dá ajeitadinha no biquíni em passeio com Neymar

Bruna Marquezine mostrou que está com corpão em dia neste sábado, 26. A atriz foi clicada após mergulhar durante passeio com o namorado,Neymar. Ela precisou dar uma ajeitadinha indiscreta no biquíni ao retornar para o barco que navegava por Ibiza, na Espanha. Neymar e Bruna Marquezine continuam em clima de total romance. O casal curte férias na ilha espanhola e foi flagrado mais cedo aproveitando o dia de sol na badalada praia de Formentera. O craque, que ainda está em recuperação após a lesão sofrida na Copa do Mundo durante uma partida contra a Colômbia, exibia uma cinta de proteção em torno da região lombar. Após as férias românticas, o craque se apresentará ao seu time, o Barcelona, no dia 5 de agosto. (Ego)

Capital: Jovem é presa acusada de roubar cabelo avaliado em R$ 6 mil de salão de beleza em Paripe

Uma jovem foi presa acusada de roubar cabelo avaliado em R$ 6 mil, e aparelhos celulares de um salão de beleza, no bairro de Paripe, na capital baiana. Joice Mayra da Conceição, de 19 anos, admitiu ser usuária de maconha e crack há dois meses, e que roubou porque precisava sustentar os três filhos. Joice também afirmou estar com um comparsa travesti, e que no momento da ação criminosa, conseguiu fugir. A jovem foi encaminhada para a 5ª CP (Companhia de Polícia), no bairro de Periperi. (Record Bahia)


Entenda o "calote" argentino e como ele pode afetar o Brasil

Um dos principais parceiros comerciais do Brasil, a Argentina, está enfrentando uma grave crise no pagamento de sua dívida externa. Às portas de decretar um default técnico, o país poderia ter uma baixa significativa nos níveis de importação de produtos brasileiros. Em reunião realizada na última terça-feira (22) , a Justiça dos EUA negou o pedido  de stay, ou seja, a suspensão do pagamento de U$ 1,33 bilhão referentes à dívida. Sob pressão dos holdouts - credores que não aceitaram os termos das negociações da dívida argentina- Griesa determinou que a medida cautelar "não é necessária" para alcançar um acordo entre o país e o fundo. A dívida com os fundos Abutre, como são chamados no país, remonta à crise de 2001. Naquele momento, a Argentina estava afundada em dívidas e não tinha maneira de reestruturar sua economia sem suspender o pagamento dos U$ 100 bilhões aos seus credores. A saída encontrada para voltar a ganhar a confiança dos investidores internacionais e gerar a entrada de divisas no país foi encontrada em 2005 e teve nova fase de negociações em 2010, durante o governo Kirchner. A renegociação da dívida com os credores internacionais deu-se sob a condição de que esses receberiam apenas 30% do dinheiro investido e num prazo de 30 anos. Parte dos credores não aceitou negociar sob as condições impostas pela Argentina, e entrou na Justiça contra o país. O resultado dessas ações está sendo sentido agora, quando os 7% que não entraram no chamado “canje” estão reivindicando o pagamento do valor total da dívida.
Até ai, tudo parece, plausível, senão fosse pela existência de uma cláusula chamada Rufo (sigla em inglês para Rights Upon Future Offers) que determina que se o pais oferece melhores condições de pagamento a um credor, teria de oferecer as mesmas condições a todos os demais. “No canje estava previsto que a melhor oferta do governo argentino, obrigaria  que se pagasse igualmente a todos os bonistas  sob as mesmas condições. Portanto, se o governa paga os 100% do bônus  que a NML está pedindo, por exemplo, os demais bonistas também vão  querer receber esse valor. No fim das contas, a Argentina teria que pagar um valor de U$ 120 bilhões, ou quatro vezes as reservas do pais, que hoje estão na casa dos U$ 30 bilhões”, explica o economista e pesquisador do Centro de Economia e Finanças para o Desenvolvimento da Argentina, Martin Burgos. No entanto, se o Estado resolve não acatar a decisão do juiz, Thomas Griesa, que defende a legitimidade da ação dos holdouts para que a Argentina pague o total da dívida, o país poderia entrar em default técnico a partir do dia 30 de julho. “Se o Estado não paga, pode chegar a um default. O governo argentino tinha toda uma estratégia para voltar ao mercado internacional desde o pagamento da dívida com o Clube de Paris, feito há mais ou menos dois meses. Com a suspensão do pagamento dos fundos abutres, esse processo pode ser dificultado, pelo menos até 2015, com venceria a cláusula Rufo”, prevê Burgos.
Efeitos no Brasil 
O default representa um risco para as negociações brasileiras com a Argentina, uma vez que geraria baixas ainda maiores do que as atuais nas reservas em dólar que o país possui.  O mercado interno argentino sofreu um desaquecimento considerável no último semestre e é o destino de mais de 20% das exportações de manufaturados brasileiros. Os hermanos importam desde peças automotoras, até sapatos e eletrodomésticos brasileiros, e uma baixa nas reservas em dólar significaria que a Argentina teria dificuldade para pagar por esses produtos. Um dos setores que mais preocupa é o automotivo, que somente em junho teve renovado o acordo que controla o intercâmbio comercial entre os dois países. O mercado argentino representa 12% do mercado consumidor da indústria automobilística brasileira é o destino de um 88% do total de veículos exportados. O default e a falta de recursos para gerar financiamento e reaquecer um mercado que, somente nesse primeiro semestre de 2014 sofreu uma queda de 19% em relação ao mesmo período do ano passado, poderia trazer graves conseqüências para a indústria automobilística brasileira. O risco do default foi o tema do almoço do Fundo de Convergência Empresarial realizado no último sábado em Buenos Aires. Os integrantes da Sociedade Rural (SRA), da Associação Empresarial Argentina (AEA), da União Industrial Argentina (UIA) e da Bolsa de valores local, acreditam que o país e os fundos devem negociar já o pagamento da dívida. Para os empresários, após haver quitado suas dívidas com Repsol e com o Clube de Paris, cair em um default por causa de um grupo ínfimo de holdouts seria desnecessário e se recusam a acreditar que isso aconteça. No entanto, alertam para os efeitos que isso poderia ter. “O crédito para a produção terminaria. Em termos de comércio exterior os financiamentos se veriam impossibilitados; as importações teriam de ser realizadas em espécie e com pagamento adiantado, o que aumentaria seus custos e culminaria com sua falta de competitividade”, alertou Miguel Ponce, Gerente de Relações Institucionais da Câmara de Importadores (CIRA) em declaração ao jornal Cronista.


Representante judaico no país lamenta resposta ‘infeliz’ de Israel ao Itamaraty

O presidente da Confederação Israelita do Brasil (Conib), Claudio Lottenberg, se posicionou após um porta-voz israelita retrucar as críticas do Brasil, alegando que a diplomacia brasileira é anã e que “desproporcional” é o 7 a 1 da Alemanha na Copa do Mundo. O governo brasileiro se posicionou contra os ataques de Israel à Faixa de Gaza e a Cisjordânia e alegou que o uso da força foi desproporcional. “O porta-voz foi muito infeliz. O Brasil tem o direito de expor seu ponto de vista, e Israel, o de não gostar”, disse Lottenberg. “Não é assim que se constroem relações entre pessoas e países”, completou. Com informações da Folha de S. Paulo.

Sob suspeita, Cruz Vermelha pode suspender atividade


Cerca de R$ 25 milhões arrecadados com donativos e repasses públicos para ajudar vítimas de catástrofes foram desviados de filiais da Cruz Vermelha brasileira, entre 2010 e 2012. Segundo auditoria encomendada pela própria entidade, parte dos recursos deveria ter sido aplicada, por exemplo, no auxílio a pessoas atingidas pelas enchentes na região serrana no Rio, pela seca na Somália e pelo tsunami no Japão. A crise pode fazer com que as atividades da instituição sejam suspensas no País. Em entrevista ao Estado, o secretário-geral da entidade, coronel Paulo Roberto Costa e Silva, admitiu o risco, mas afirmou ter a confiança da Federação Internacional da Cruz Vermelha, que financiou a auditoria. O resultado foi revelado nesta sexta-feira, 25, pelo jornal Folha de S.Paulo. “A possibilidade (de suspensão das atividades), em tese, existe. Mas eu não acredito que vá acontecer”, disse o secretário. Conforme Costa e Silva, o processo de investigação tem sido acompanhado de perto pelo Comitê de Mediação e Comprimento, órgão internacional responsável por verificar a conduta da Cruz Vermelha. “Desde que assumimos a gestão, há dois anos, eles nos deram um voto de confiança.” Um dos argumentos do secretário é que a própria Federação Internacional da Cruz Vermelha, em Genebra, na Suíça, financiou a auditoria, com custo de US$ 500 mil. Em nota publicada no site oficial, a Cruz Vermelha brasileira afirmou que os desvios estão concentrados quase que exclusivamente nas filiais do Maranhão, Petrópolis e Ceará. A entidade também informa que o dinheiro da arrecadação de pelo menos três campanhas foi desviado para a conta de uma ONG. Desenvolvida pela empresa internacional Moore Stephens, a auditoria aponta que R$ 212 mil, em cada uma das campanhas da Somália e do Japão, e R$ 1,6 milhão, na tragédia do Rio, foram repassados no período. O destino: o Instituto Humanus, em São Luís (MA), comandado pela mãe de Anderson Marcelo Choucinodo, então vice-presidente da Cruz Vermelha brasileira. Ao todo, o secretário-geral afirma que a ONG recebeu R$ 17 milhões da filial da CVB no Maranhão. Dengue Além dos casos já citados, há indícios de que uma campanha nacional de prevenção à dengue, que nem sequer teve início, também teria tido verba desviada para a ONG. “O relatório indica que houve repasse de dinheiro irregular, mas não é conclusivo”, diz Costa e Silva. O estudo analisou dez filiais da instituição, que, por estatuto, são autônomas em relação à unidade central, e apontou que o Instituto Humanus, comandado por Alzira Quirino da Silva, não comprovou ter prestado serviços à Cruz Vermelha. A diretoria da entidade confirmou que entregou o resultado da auditoria ao Ministério da Justiça “e vai protocolar pedido de providências judiciais nos Ministérios Públicos federal e estaduais”. Além disso, “pedirá punição aos gestores dessas filiais à época em que ocorreram os desvios. A Cruz Vermelha também estuda medidas judiciais que visem à reparação pelos danos causados à imagem da instituição perante a opinião pública”. Costa e Silva disse também que a direção vai se empenhar para excluir de seus quadros quem agiu irregularmente.

Cão sem patas dianteiras usa brinquedo para andar nos EUA
  1. Cãozinho nasceu sem as patas da frente
Um filhote de chihuahua que não tem as duas patas da frente usa um equipamento feito com brinquedos para se movimentar. Ele vive em Indianápolis, nos EUA, e tem uma conta no Instagram em sua homenagem, o que atraiu simpatia de internautas por todo o mundo. Segundo o site "Mashable", o filhote já nasceu sem as patas. Ele passou por vários especialistas até que um veterinário chamado Kim Cline resolveu criar um equipamento que ajudasse o cachorro a se movimentar. Apesar da deficiência, o cãozinho Turbo sempre teve a saúde perfeita. O equipamento foi feito a partir de pedaços de brinquedos. Antes, Cline trabalhou para fortalecer as patas traseiras do animal, de maneira que ele pudesse sustentar o equipamento. O veterinário acredita que o brinquedo é temporário, mas que pode ser usado como um protótipo para novas invenções que ajudem animais com problemas de mobilidade. Atualmente com 6 meses, o filhote tem a evolução mostrada pela conta no Instagram. 

Candidatos a deputados também já sabem tempo de propaganda
As coligações partidárias criadas para candidatos a deputado estadual e federal na Bahia também já sabem o tamanho da fatia que terão na propaganda gratuita no rádio e na TV, entre 19 de agosto e 2 de outubro. De acordo com a estimativa informada pela Justiça Eleitoral aos coordenadores das três principais campanhas, a chapa liderada pelo PT e composta por mais cinco legendas, entre elas, PSD, PR e PP, abocanhou o maior pedaço do bolo reservado na televisão à disputa pela Assembleia às segundas, quartas e sextas-feiras. No total, ficará com 6min59s segundos em cada bloco de programa, contra os 6min10s da frente encabeçada pelo DEM e formada por outras oito siglas, incluindo PSDB e PMDB. Já o tempo destinado ao PSB, que se aliou a apenas dois partidos, foi calculado em 1min23s. Em relação ao tempo de televisão voltado à corrida pela Câmara dos Deputados, os candidatos da base aliada petista têm vantagem bem maior sobre as coligações concorrentes: 9min20s, contra 7min50s da ala democrata e 1min51s dos socialistas, sempre às terças, quintas e sábados. Caso não haja contestação judicial, essa será a divisão do tempo de TV que o TRE vai apresentar aos partidos no próximo dia 8. Conta que inclui os 7min49s de Rui Costa (PT), os 6min59s de Paulo Souto (DEM) e 1min45s para Lídice da Mata (PSB), conforme antecipado pela Satélite na quarta-feira. (Correio)

Bahia fecha treino e tem dúvidas para enfrentar Inter neste sábado (26)
Flertando com a zona de rebaixamento, o Bahia terá um duro adversário neste sábado: recebe, na Arena Fonte Nova, o Internacional, 5º colocado. Na véspera do jogo, o técnico Marquinhos Santos repetiu a tática da semana passada e realizou um treino fechado no estádio que receberá a partida. Apesar do treinamento fechado, sabe-se que o treinador do Bahia tem dúvidas no ataque. Nesta sexta, o atacante argentino Maxi Biancucchi foi vetado pelo departamento médico por causa de uma amigdalite e não joga neste sábado. Rhayner e Henrique se recuperam de lesões musculares na coxa e também podem desfalcar a equipe tricolor. Os dois treinaram nesta sexta, mas serão reavaliados pelos médicos do clube amanhã. Quem surge como opção para o setor é Kieza, que foi regularizado e pode fazer sua estreia pelo Bahia. Nos outros setores, também pode haver mudanças. Atendendo a pedidos da torcida, que tem criticado o lateral esquerdo Guilherme Santos, o técnico Marquinhos Santos deve promover o retorno de Pará. Em alta, o atleta formado nas categorias de base do Bahia foi convocado, nesta semana, para a Seleção Brasileira Sub-20, treinada por Alexandre Gallo. No meio-campo, Fahel e Branquinho brigam por uma vaga. Com isso, a provável escalação do Bahia para o jogo é a seguinte: Marcelo Lomba; Diego Macedo, Adailton, Titi e Pará; Uelliton, Léo Gago e Branquinho (Fahel); Kieza, Henrique e Rhayner. Caso Rhayner e Henrique não joguem, Emanuel Biancucchi e William Barbio são os favoritos para ocuparem suas vagas. Bahia e Internacional entram em campo às 21h deste sábado, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Ameaçado de demissão, Marquinhos Santos corre sérios riscos de ser demitido se chegar ao décimo jogo consecutivo sem vitórias pelo Bahia. Por sua vez, o Inter ainda não venceu fora de casa. A equipe gaúcha vem de goleada contra o Flamengo, mas só conseguiu vitórias consecutivas na terceira e quarta rodadas. (Terra)

Mega-Sena: concurso pode entregar prêmio de R$ 22 milhões neste sábado
Com prêmio acumulado após não premiar nenhum apostador na última quarta-feira (23), a Mega-Sena pode entregar bolada estimada em R$ 22 milhões neste sábado (26), quando a Caixa Econômica Federal realizará o sorteio do Concurso 1.620. O montante de R$ 22 milhões não só é suficiente para adquirir 44 residências avaliadas em R$ 500 mil ou 15 carrões 0 km Lamborghini modelo Gallardo Coupe LP550,  cujo preço da unidade é de R$ 1,5 milhão. Se aplicado em uma caderneta de poupança, o dinheiro pode render, mensalmente, R$ 133.298. Mais do que o suficiente para viver confortavelmente entre rotinas de almoços em restaurantes luxuosos e viagens de primeira classe ao exterior. As dezenas sorteadas na última quarta-feira foram 05, 08, 17, 42, 46 e 47. Noventa e dois apostadores conseguiram acertar a Quina da Mega, cada um levando a bolada R$ 18.392,04. Na Quadra, foram 7.438 os premiados, com R$ 324,98 para cada. A aposta mínima na Mega-Sena custa R$ 2,50 e pode ser feita até as 19h (horário de Brasília) em qualquer uma das mais de 13 mil casas lotéricas do País.

Prevenção e valorização de técnico são melhores formas de evitar acidentes do trabalho

No próximo domingo, 27 de julho, é comemorado o Dia Mundial de Prevenção de Acidentes do Trabalho. A data tornou-se oficial no país em 1972, quando foi instituído o Plano Nacional de Valorização do Trabalhador, que tornou obrigatória a existência de um serviço de segurança e medicina do trabalho em empresas com mais de 100 funcionários. Segundo a médica do trabalho Maria Betânia Senna, para se obter êxito na prevenção, e até na anulação dos acidentes do trabalho, é preciso que tanto as empresas quanto os empregados tenham a consciência de que é importante tomar medidas preventivas. Ela destaca que é dever do profissional conhecer o local de trabalho, e que as empresas precisam fornecer informações, com sinalizações e placas, além de fornecer os EPI’s (equipamentos de proteção) para seus funcionários. “Em um local de trabalho úmido, o profissional precisará de sapatos especiais, com sola antiderrapante, e a empresa tem que fornecer esse material. Mas o funcionário também deve colaborar. Não iria adiantar nada se, por exemplo, a empresa fornecer fones de ouvido para proteção e o trabalhador apenas pendurar no pescoço”, explica Maria. “A empresa e os funcionários devem se atentar também para a prevenção da área biológica do local de trabalho e com a própria saúde”, completa. Sobre os altos números de acidentes de trabalho na Bahia, que lidera essa estatística no nordeste, a médica destaca que as empresas do estado precisam investir mais em programas de prevenção aos acidentes e valorizar os técnicos em Segurança do Trabalho. “As empresas seguem apenas o que a lei determina, sem se preocuparem em avaliar essas normas à realidade quais elas se encontram. Em empresas que possuem um alto nível de valorização desses técnicos, ao avaliar uma situação de risco na atividade dos trabalhadores, eles têm o poder de parar com o serviço até que seja corrigida a situação e o risco seja eliminado”, afirma. Dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT) informam que, no mundo todo, ocorrem 337 milhões de acidentes de trabalho não fatais por ano. No Brasil, em 2011, foram registrados 711.164 casos. A região que mais possui registros de acidentes do trabalho é a Sudeste, com 69% do número total no país. O estado de São Paulo lidera o número de acidentes do Trabalho, com 242.271 casos registrados, o que representa 34,53% do total de acidentes de trabalho no Brasil. No nordeste, que é a 2ª região onde mais acontecem acidentes no Brasil com 16% dos casos, o estado da Bahia possui o maior registro de acidentes no trabalho. Contudo, a Bahia foi o estado que mais reduziu o número de casos entre os demais da região. Em 2009, foram registrados 26.483 acidentes. Em 2010, foram 23.934, com um total de 2.549 casos a menos. Somente neste ano, o INSS desembolsou R$ 362 milhões em processos trabalhistas no estado, que também lidera os acidentes fatais no Nordeste, com 119 casos de morte. No geral, a Bahia representa 3,41% do total de acidentes de trabalho no país. Estes dados são do Programa Trabalho Seguro promovido pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), e pelo Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT).

Revista vexatória pode acabar nos presídios da Bahia após denúncia da Defensoria Pública

As revistas íntimas, também conhecidas como revistas vexatórias, praticadas nas unidades prisionais da Bahia, podem ser findadas no início do mês de agosto deste ano. Os novos procedimentos para garantir uma revista humanizada que garanta a integridade de quem visita um apenado e da sociedade devem começar a ser adotados pela Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização da Bahia (Seap) a partir do mês de agosto. Segundo o superintendente de Gestão Prisional da Seap, coronel Paulo Cesar, uma portaria ainda será baixada contendo as normas e formas de como as revistas vexatórias serão suspensas e de quais equipamentos serão instalados para não permitir que objetos proibidos, como armas, celulares e drogas, entrem nos presídios do estado. A medida segue a determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para que mães, crianças, amigos e demais familiares dos presos não sejam mais submetidos a revistas que os forcem a se despirem na frente dos agentes penitenciários, e os submetam a agachamentos para verificação de partes íntimas do corpo. A Defensoria Pública da Bahia (DPE-BA) tem provocado as discussões sobre o fim da revista vexatória no estado, e tem acompanhado a movimentação nacional para que sejam instalados equipamentos tecnológicos de revistas, tal como dos aeroportos. De acordo com o defensor público Alan Roque, subcoordenador de Crime e Execuções Penais da DPE-BA, o órgão tem atuado em conjunto com outras defensorias para pedir o fim da revista vexatória, pois ela está “na contramão da história”. O defensor afirma que em janeiro deste ano foi enviado um ofício a Seap para pedir o fim das revistas constrangedoras, e desde então, audiências tem sido realizadas para discutir o assunto. Alan Roque afirma que a maioria das denúncias é do público feminino, principalmente de senhoras com mais de 60 anos e de crianças. “É possível evitar a entrada sem expor a pessoa humana que não praticou crime algum. A pena é do réu, não da criança, da mãe ou do pai, ou de outra pessoa que queira ter acesso a unidade prisional”, afirma o defensor. O estado de Goiás é um dos exemplos que a Defensoria da Bahia tem observado quando discute o fim das revistas degradantes, pois já instalou equipamentos como o body scanner (opção mais segura que o raio-x, normalmente usada para analisar malas e objetos em aeroportos) para revistar quem adentra os presídios locais. “É preciso encontrar meios de substituir a revista que se tem hoje e adotar uma humanizada. As pessoas são submetidas a processos vexatórios e, mesmo assim, as coisas ilícitas ainda entram nos presídios”, adverte. As denúncias recebidas pela Defensoria Pública dão dimensão do constrangimento que as mulheres são submetidas ao visitar os apenados. Em depoimentos obtidos pelo Bahia Notícias, algumas vítimas descrevem a humilhação em que são submetidas. Uma das vítimas da revista afirma que não visita mais seu filho “por não querer e nem achar correto ter que se submeter a revista íntima na forma como é exigida no local” e entender que é “constrangedora e vexatória” ser obrigada a “se despir na frente das pessoas, colocar-se em posições humilhantes, ser manipulada por servidores da cadeia e até ser obrigada a se agachar em espelho”, o que desrespeita sua intimidade e restringe seu direito de acesso e visita ao filho. Em outro depoimento, uma mãe afirma que suas filhas e irmãs não visitam o detento por receio de ser submetidas à revista intima.
A declarante afirma que todas as vezes que vai visitar o filho é revistada, e que é “obrigada a suspender a roupa, descer a calcinha, ficar curvada para cima, a fim de que uma agente abra sua genitália e aponte uma lanterna, sob alegação de questão de segurança”. Também é obrigada a tirar o sutiã e mostrar os seios, e que se “os seios forem caídos, as agentes também os levantam para ver se não tem nada atrás”. Ainda diz que é “humilhante ficar parecendo uma galinha” e que ainda mantém as visitas por ser mãe do apenado. Outra mulher afirma que foi obrigada a se despir, agachar três vezes, “ficar de quatro e abrir as partes” e que fizesse “força como se fosse defecar”. O constrangimento foi tanto que a depoente disse que saiu “desnorteada” e “chorando muito” da revista, e que nunca tinha passado por tanta humilhação. A Defensoria Pública já contabiliza mais de 40 depoimentos desta natureza somente em 2014. Muitas outras passam por isso, mas não denunciam por vergonha e por reviver toda situação de constrangimento ao fazer o relato. Com base nesses depoimentos, em laudos e documentos, a Defensoria afirma que não tem “outra saída a não ser acabar com a revista vexatória”. Os casos acontecem em unidades como da Cadeia Pública de Salvador e Penitenciária Lemos Brito. “É possível evitar esses constrangimentos e garantir a segurança da sociedade com uso de raquetes, body scanner, detector de metal, similar aos aeroportos, filtrando a entrada de materiais ilícitos”, analisa o defensor. O coronel Paulo Cesar afirma que o constrangimento não é só para os visitantes, mas também para os agentes penitenciários, que não tem alternativa a não ser fazer a revista íntima. Em princípio, os equipamentos deverão ser instalados nas unidades penitenciárias em co-gestão, onde o Poder Público mantém a direção da unidade e terceiriza serviços de segurança.

Conferência mundial da Aids recomenda legalizar a prostituição

Legalizar a prostituição seria uma maneira de tornar mais eficaz o combate ao vírus HIV e à Aids. Essa é a conclusão de uma série de sete estudos apresentados esta semana na 20ª Conferência Internacional sobre Aids, realizada em Melbourne (Austrália), e publicados na última terça-feira (22) pela revista científica britânica Lancet. A conferência começou com uma vigília em memória de seis cientistas que deveriam participar do encontro e morreram na queda do voo MH17, da Malaysia Airlines, na Ucrânia - e terminou, nesta sexta-feira, com “um minuto de barulho para Gabriela”, uma homenagem a Gabriela Leite, a prostituta brasileira falecida em 2013 que deu nome ao Projeto de Lei 4.211/2012, do deputado federal Jean Wyllys (PSOL/RJ). O projetolegaliza e regulamenta o trabalho sexual no Brasil. O documentário “Um Beijo Para Gabriela”, de Laura Murray, também foi exibido no último dia da conferência. “Com riscos elevados de HIV e de outras infecções sexualmente transmissíveis, trabalhadores sexuais enfrentam barreiras substanciais para acesso a serviços de prevenção, tratamento e cuidados, em grande parte por causa de estigma, discriminação e criminalização nas sociedades em que vivem. Essas injustiças sociais, legais e econômicas contribuem para o alto risco de essas pessoas contraírem HIV”, escreveram os editores da Lancet na introdução da série, que foi coordenada por Chris Beyrer, da Escola de Saúde Pública Johns Hopkins.Bloomberg, de Nova York. Durante a conferência, Breyer foi anunciado como o novo presidente da Sociedade Internacional da Aids. Falando durante a conferência de Melbourne, os editores da Lancet Pamela Das e Richard Horton disseram que “onde o trabalho sexual é legalizado, como em Amsterdã, o foco da atividade policial está em reduzir a violência, proteger trabalhadoras sexuais e apoiar programas efetivos de combate ao HIV. Tal resposta iluminada reduz o risco e a vulnerabilidade dos trabalhadores sexuais ao HIV e deveria ser seguida em outros lugares. Esta série conclama os governos a descriminalizarem o trabalho sexual. Não há alternativa, se queremos reduzir o ambiente de risco enfrentado por mulheres, homens e pessoas transgênero em todo o mundo”. Steffanie Strathdee abordou o tema “Desfazendo mitos sobre trabalhadores sexuais e HIV”. Os seis mitos descritos são “o de que todos os trabalhadores sexuais são mulheres”, o de que “todos os trabalhadores sexuais são solteiros”, o de que “a maioria dos trabalhadores sexuais não quer crianças e tenta evitar a gravidez”, o de que “todos os trabalhadores sexuais foram traficados ou coagidos”, o de que “trabalhadores sexuais não usam e não usarão preservativos com clientes” e o de que “o trabalho sexual é ilegal e, portanto, programas não têm como ser implementados”. Segundo ela, “num estudo entre prostitutas de rua de Moscou, mais de 80% eram mães, das quais mais de 95% relataram que vendiam sexo para sustentar seus filhos”. Sobre a questão do tráfico de pessoas, o estudo nota que “a maioria dos trabalhadores sexuais não é traficada”. “A maior parte do tráfico humano é para exploração em trabalho.

Morre o astrônomo Ronaldo Mourão
Fundador do Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast) e pesquisador e sócio titular do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IGHB), Ronaldo Rogério de Freitas Mourão ficou conhecido como uma das maiores autoridades em astronomia do Brasil. O astrônomo, que publicou seus primeiros artigos de divulgação científica na revista Ciência Popular, em 1952, possui quase cem livros publicados e mais de mil ensaios publicados em livros, revistas e jornais. Entrou em 1956 para Universidade do Estado da Guanabara (atual UERJ), onde obteve, em 1960, os títulos de Bacharel e Licenciado em Física pela Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras. Foi nomeado em setembro de 1956 Auxiliar de Astrônomo do Observatório Nacional, quando ainda cursava a universidade. Em 1960, publicou o seu primeiro livro: Astronomia Popular, edição especial da revista Ciência Popular. Em julho de 1967, obteve o título de doutor pela Universidade de Paris com menção "Très Honorables". Em dezembro desse ano voltou para o Brasil, reassumindo suas funções como astrônomo no Observatório Nacional e de Pesquisador no Conselho Nacional de Pesquisa. Em março do ano seguinte foi nomeado Astrônomo-Chefe da Divisão de Equatoriais. Suas principais contribuições astronômicas foram efetuadas no campo das estrelas duplas, asteróides, cometas e estudos das técnicas de astrometria fotográfica. Em janeiro de 1997, foi agraciado pelo Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo com o colar do centenário e o respectivo diploma, como destaque cultural do ano de 1996. Em março de 1999, tomou posse na Academia Luso-Brasileira de Letras, na cadeira 38, que tem como patrono Gregório de Matos. Em junho do mesmo ano, foi eleito membro da Academia Brasileira de Filosofia, na cadeira 41, que tem como patrono Roberto Marinho de Azevedo. (O Globo)

Uso do cinto de segurança pode evitar 6 mil mortes no trânsito por ano

Uma lei que pegou em todo o país e ajudou a salvar milhares de vidas, agora anda caindo no esquecimento. O uso do cinto de segurança é obrigatório e, se todo mundo usasse, seis mil mortes poderiam ser evitadas por ano. Depois de todas as campanhas, a equipe do Bom Dia Brasil não teve dificuldade de flagrar essa irresponsabilidade. Nesta quarta-feira (23), em uma avenida de Brasília, em alguns minutos, o Bom Dia Brasil flagrou 10 motoristas sem cinto de segurança. O que foi visto nas ruas está presente nas estatísticas: a quantidade de multas aplicadas aos que abandonaram este item fundamental e obrigatório cresceu 158% em dois anos. É um hábito muito simples, quase automático, que ninguém deveria esquecer. “Colocar o cinto de segurança”, diz um motorista. “Sempre”, completa outra motorista. Mas, muitos motoristas e passageiros têm esquecido, sim. O uso do cinto de segurança é obrigatório há 16 anos. Está no Código de Trânsito. Na capital do país, é fácil flagrar gente descumprindo a lei. Nos últimos dois anos, o crescimento na quantidade de multas por dirigir sem o cinto foi de 158%. Somente este ano, de janeiro a junho, já foram registradas mais de 62 mil infrações. E tem desculpa para tudo.“É perigoso, mas no estacionamento eu tirei, só porque eu cheguei aqui”, diz um motorista. “Eu tirei, aí entrei e vou estacionar”, afirma um outro motorista. De acordo com a lei, o cinto só deve ser tirado depois que o carro estiver totalmente parado. Um motorista percebe que está sendo filmado e logo coloca o cinto. E há quem use a contragosto. “Às vezes atrapalha um pouco”, diz uma motorista.
A situação se repete em outras cidades. Em Salvador, o número de multas mais que dobrou nos primeiros seis meses deste ano. Foram 10.964 mil infrações, contra 4.660 no primeiro semestre do ano passado. A lei diz que o cinto deve ser usado por todas as pessoas que estão no carro e a multa é considerada grave. O motorista leva cinco pontos na carteira e tem de pagar R$ 127. De acordo com especialistas em segurança no trânsito, se todos usassem o cinto, cerca de 6 mil mortes por ano poderiam ser evitadas no Brasil. “Provavelmente eles estão mais relaxados, eles estão negligenciando os riscos do trânsito”, ressalta David Duarte, presidente do Instituto Brasileiro de Segurança no Trânsito. Quem respeita a lei, sabe direitinho por que tem que se proteger. “Salvar vida, o principal”, explica uma motorista. (Bom Dia Brasil)

"Dou mais valor à vida", diz Massa cinco anos após acidente

Uma mola se solta da traseira do carro de Rubens Barrichello, ganha velocidade ao pingar no asfalto e atinge a cabeça de Felipe Massa justamente em um dos lugares mais frágeis do capacete: entre a viseira e o casco. O improvável acidente da classificação do GP da Hungria faz cinco anos hoje. Para Massa, contudo, o único resquício da batida é um maior valor à vida. “Eu dou mais respeito à vida, sem dúvida. A gente nunca acha que alguma coisa séria pode acontecer com a gente, mas pode acontecer com qualquer um. Gosto muito de vir para este país no qual eu tenho muitos fãs e recebo uma força muito grande das pessoas, até por causa do acidente”, afirmou ao TotalRace. Desde o acidente, há quem acredite que o piloto nunca mais foi o mesmo. Em depoimento ao TotalRace ano passado, o médico que atendeu Massa e que se tornou seu amigo pessoal, o neurocirurgião Robert Veres, deixou clara a gravidade da situação, mas destacou a rápida recuperação do brasileiro. “Nas primeiras horas de atendimento, lutamos por sua vida, fazendo todos os exames de procedimento e identificando as áreas críticas. No segundo dia, sabíamos que ele sobreviveria mas havia uma incerteza em relação a sua visão. Quando o tiramos da sedação, vimos que o olho estava bem, mas ainda não sabíamos se ele teria uma vida normal. Ele logo estava se movendo normalmente, mas ainda não era claro se ele poderia voltar às corridas. Vimos depois que ele não voltaria naquela temporada, mas ainda não dava para saber se ele voltaria um dia.” Sabendo dos problemas que o piloto enfrentou, o médico classifica a recuperação do brasileiro como “um milagre”. Massa voltou a competir oito meses após o acidente. “O espírito de luta que ele tem é inacreditável. Eu acho um milagre. Vai além de uma questão da medicina ou de tratamento. Termos o Massa hoje na Fórmula 1 tem a ver com sorte, com Deus, com a força de vontade dele e com sua personalidade.” Para Jenson Button, o acidente não tem nada a ver com a queda de rendimento do brasileiro desde então. O piloto não vence uma corrida desde o GP do Brasil de 2008, mas o inglês defende que isso se deve a outros fatores. (Totalrace)

Lewandowski determina volta de Telma Britto para o TJ-BA, em decisão liminar
O ministro Ricardo Lewandowski, presidente interino do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o retorno da desembargadora Telma Britto as atividades do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) nesta quinta-feira (24). O ministro acatou o pedido da defesa de Britto, apresentado em um mandado de segurança no dia 1º de julho, quando iniciou as férias dos ministros do Supremo. Lewandowski estendeu os efeitos da liminar deferida em favor do desembargador Mário Alberto Hirs, por impugnar o ato do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que os afastaram do cargo e das dependências do TJ-BA, em novembro de 2013, e prorrogou o prazo de investigação sem fundamentação plausível. Os desembargadores ficaram afastados do cargo por mais de oito meses. Os dois presidiram a Corte baiana, e foram afastados para serem investigados por inflacionar pagamento de precatórios no estado. De acordo com a decisão do presidente interino do STF, a decisão de suspender o afastamento cautelar das funções judicantes será mantida até o julgamento final do processo administrativo disciplinar contra os magistrados, que tramita no CNJ, e melhor exame da questão pelo relator do caso, ministro Luis Roberto Barroso. O acórdão da decisão ainda não foi publicado pelo STF.

Ucrânia: 230 mil pessoas já abandonaram suas casas devido a conflito
O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) anunciou hoje (25) que 230 mil pessoas abandonaram suas casas no Leste da Ucrânia por causa da crescente tensão entre o país e separatistas pró-Rússia na região. Segundo o porta-voz da Acnur, Dan McNorton, 100 mil pessoas deixaram a zona de conflito e se deslocaram para outras regiões do próprio país, enquanto 130 mil atravessaram a fronteira e entraram na Rússia. McNorton informou que, desde o início de junho, o número de moradores de Donetsk e Lugansk, principais cidades dos conflitos, que deixaram suas casas “aumentou fortemente”. A causa, segundo ele, é a “preocupação com a segurança e o medo de serem apanhados em meio aos combates”. Segundo as autoridades ucranianas, pelo menos 17 civis morreram nas últimas 24 horas por causa dos combates entre militares e os rebeldes pró-russos no Leste do país. Entre as vítimas, 14 morreram em Donetsk e três, em Lugansk. Com a queda, no dia 17 de julho, do voo da Malaysia Airlines, que transportava 298 pessoas, abatido por um míssil, o número de mortes nos últimos três meses de conflito passou de mil. (Agência Brasil)

Busca por corpo de Eliza pode ser adiada devido à chuva

A chuva que cai forte em Belo Horizonte (MG) desde a madrugada desta sexta-feira pode adiar a escavação em busca do corpo de Eliza Samudio, ex-amante do goleiro Bruno Fernandes. Os trabalhos em um terreno perto do aeroporto de Confins, na região metropolitana, estavam previstos para começar as 9h, mas irão atrasar. Às 8h30, o delegado Wagner Pinto, um dos responsáveis pela investigação, ainda estava na Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP). Junto com uma equipe, ele irá avaliar se há condições para fazer as buscas. O percurso da DHPP até o local onde Jorge Lisboa Rosa Sales, primo do ex-jogador do Flamengo, disse que viu a ex-amante do atleta ser enterrada após ter sido morta pelo ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Macarrão, leva entre 30 a 40 minutos.  Ontem, o primo de Bruno indicou à polícia o local onde estaria o corpo de Eliza. Jorge chegou a Belo Horizonte, por volta das 5h da madrugada, escolatado por policiais militares do Rio de Janeiro. Ele estava acompanhado pelo advogado Nélio Andrade, ligado à rádio Tupi, também do Rio. Anteriormente, em entrevista à emissora, o jovem disse saber onde estava o corpo, pois teria judado a enterrá-lo. Segundo o advogado, Jorge disse que saberia mostrar o local se eles saíssem da casa do ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, que seria o executor da vítima, e que seria perto do aeroporto de Confins. Após cerca de duas horas, o rapaz conseguiu indicar um lote vago, na região metropolitana de Belo Horizonte, porém mais perto do sítio de Bola que do aeroporto. Mas como ele havia diantado, a área tinha um coqueiro e vegetação alta. "Ele deu 100% de certeza de ser ali", afirmou o delegado Wagner Pinto, um dos responsáveis pela investigação. O advogado que acompanha Jorge disse que o primo de Bruno se emocionou e chorou ao chegar ao local. O delegado havia encontrado o grupo em uma Companhia da Polícia Militar. Então, Jorge foi levado ao Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa, onde foi ouvido das 17h até por volta das 20h30. (Terra)